Camboja #2

Chegámos a Siem Reap a meio da tarde e mal saimos do avião deu para perceber que a temperatura era relativamente mais baixa que em Singapura e estava bastante nublado.
 
O caminho do aeroporto até a Siem Riep é relativamente rápido e como vos contei no primeiro post, têm sempre opção de transporte barato e não se esqueçam de aplicar o visto online ou de levar fotos e dolares para fazer na altura.
Chegados ao hotel, tivemos direito a umas toalhas geladas ( algo muito comum no sudeste asiático ) e a um cocktail de fruta. O Bu adorou e bebeu dois pois eram mesmo deliciosos!
 
Como ainda era cedo e para aproveitar o resto do dia, fomos para a piscina e os miudos acabaram por jogar com os vários jogos que o hotel disponibiliza. É essencial escolherem um hotel com piscina, porque para nós está fresquinho porque estamos habituados às altas temperaturas e humidade de Singapura, mas para quem não está, vai ter a sensação que pode derreter a qualquer momento!
O hotel é lindo e parece mesmo que estamos a viver num palacete,
 
 
Antes de jantar resolvemos dar uma volta pela cidade e ver o Night Market. Fomos de tuc tuc, pois estávamos mesmo perto do centro e custa cerca de 2$,
 
Aqui podem encontrar mil e uma recordações do Camboja, saias, calças, quadros, jóias, artesanato, cerveja barata e comida típica. A nossa missão era comprar um chapéu para a nossa aventura! Missão comprida!
 
O jantar foi uma experiência Khmer e western e adorámos, bolinhos de peixe (parecidos com os nossos pastéis de bacalhau), caldo de camarão com legumes, frango grelhado com molho de cogumelos e um Leite creme de comer e chorar por mais. Claro está que bastaram uns dias a comer assim para engordar um kilinho, mas foi uma experiência muito boa.
 
No dia seguinte tivemos que acordar mesmo muito cedo para começar a visitar os templos, mas antes tivemos um pequeno-almoço delicioso,
 
E rumámos a comprar os passes para os templos, e por ser fim-de-ano, estava imensa gente, mas mesmo assim não demorou mais de 30 minutos todo o processo,

Começamos a nossa visita por Angkor Wat, o principal Templo. Infelizmente, não tivemos a oportunidade de ver nem o nascer do sol, nem o pôr do sol, mas ficará concerteza para outra oportunidade.
Angkor Wat é considerada a maior construção religiosa do Mundo e um dos tesouros arqueológicos mais importantes do Mundo e em 1992 foi considerado pela UNESCO, Patrimônio da Humanidade. Este complexo representa o expoente máximo da arquitectura do Império Khmer e foi construído pelo Rei Suryavarman II no começo do século XII, como seu templo central e capital do seu reino, levou 30 anos a ser construído e inicialmente foi considerado um Templo Hindu, mas hoje em dia é Budista.


Após o seu abandono em finais do século XVI, Angkor ficou sepultada pela selva, com a única excepção do templo de Angkor Wat, que permaneceu habitado por monges budistas.

A primeira visita documentada de um ocidental a Angkor Wat aconteceu em 1586 e foi, imaginem só, por um freire português António da Madalena. As impressões do freire foram recolhidas por um funcionário público e historiador português chamado Diogo do Couto, quem deixá-las-ia por escrito:


"... uma construção de tal modo extraordinária que não é possível descreve-la por escrito, especialmente é diferente de qualquer outro edifício no mundo. Possui torres, decoração e todos os refinamentos que o génio humano pode conceber."

Realmente, somos um povo impressionante que descobrimos mais de metade do mundo, quem adora estas histórias são os amaritos e eu própria me sinto hiper-mega orgulhosa quando ouvi um guia do Camboja dizer que os primeiros ocidentais a chegar a esta terra foram os TUGAS!!!

A visita foi extremamente interessante, os miúdos cooperaram dentro do possível e não fosse a quantidade de pessoas que passeavam pelo Templo, ainda teríamos gostado mais e talvez usufruído da paz que se sente neste local.

                                     


 Uma pausa para descansar, beber água, pois a pequenada estava bem cansada e o passeio ainda era longo...

 Sentados numa das 'bibliotecas' do Templo...
Na altura do Khmer Vermelho cortaram as cabeças a quase todos os mudas do Templo,
 Alguns detalhes...


Um mar de gente...
 A Mia está escondida do Bu...
 O Templo faz reflexo no Lago...
 Uma aventura saída de um filme do Indiano Jones...
 E por hoje foi tudo, estávamos todos estoirados, rabujentos, cheios de sono e ansiosos por um mergulho fresquinho!!!
Prometo vir contar mais!!!!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Pão de Alho

Pão Doce

Pataniscas de bacalhau no forno